HjemGrupperSnakMereZeitgeist
Søg På Websted
På dette site bruger vi cookies til at levere vores ydelser, forbedre performance, til analyseformål, og (hvis brugeren ikke er logget ind) til reklamer. Ved at bruge LibraryThing anerkender du at have læst og forstået vores vilkår og betingelser inklusive vores politik for håndtering af brugeroplysninger. Din brug af dette site og dets ydelser er underlagt disse vilkår og betingelser.

Resultater fra Google Bøger

Klik på en miniature for at gå til Google Books

Indlæser...

The Aleph [short story]

af Jorge Luís Borges

MedlemmerAnmeldelserPopularitetGennemsnitlig vurderingSamtaler
911,995,797 (4)1
Ingen
Indlæser...

Bliv medlem af LibraryThing for at finde ud af, om du vil kunne lide denne bog.

Quero começar por dizer que a edição em papel que comprei, da Quetzal, é fantástica. Este é um daqueles livros que dá prazer mesmo antes de se começar a ler: a encadernação em que as páginas abrem completamente sem se descolarem, o papel rugoso da capa, o cuidado com o design, as badanas largas com informação sobre o autor e foto, a mancha do texto bem espaçada com uma fonte bonita e fácil de ler... e... hummm... a expectativa boa de ir passar uns bons momentos na companhia da imaginação estonteante de [a:Jorge Luis Borges|500|Jorge Luis Borges|http://d202m5krfqbpi5.cloudfront.net/authors/1306036027p2/500.jpg]!!!

O primeiro conto do livro, "O Imortal", é o conto central e de maior dimensão da coletânea, e merecia ter-lhe dado o nome. Começa "a la" Borges: uma história dentro de um livro que pertence a outra história, e ainda por cima remetendo para países exóticos e tempos remotos ("Em Londres, nos princípios do mês de Junho de 1929, o antiquário Joseph Cartaphilus, de Esmirna, ofereceu à princesa de Lucinge os seis volumes em quarto menor (1715-1720) da Ilíada de Pope"). Esta técnica de Borges parece que acrescenta veracidade ao é dito e desperta o nosso sentido de "bisbilhotice" levando-nos a acreditar mais no que está a ser dito e a querer ler mais... "very clever", não é?

Depois há Marco Flamínio Rufo, que não resiste a partir em busca do mito imortalidade. Quando, depois de atravessar montanhas e desertos, suportar perigos e atentados, chega quase morto à sombra da muralha da cidade, descobre que não há portas, apenas uma caverna ao fundo da qual há um poço, ao fundo do qual existe uma câmara circular com 9 portas, 8 das quais dão entrada para um labirinto que só tem saída para a mesma câmara circular e a 9ª que leva a outra câmara circular idêntica à primeira com mais 9 portas e 8 labirintos... uau! a imortalidade é verdadeiramente difícil de alcançar...

Depois há o deserto à volta da cidade em que os anos se repetem, monótonos, sedentos e iguais, mas em que um dia acontece o inesperado... uma forte chuvada abate-se sobre os trogloditas que ali vivem. Argos, o troglodita amigo de Rufo, de olhos postos no céu, chorava. Rufos grita-lhe, Argos, Argos! E Argos abre a boca pela primeira vez para responder: "Argos, cão de Ulisses". Perguntando-lhe que mais sabe sobre a Odisseia, Rufo obtém a resposta: pouquíssimo... já devem ter passados mais de mil e cem anos que a escrevi...

"Ser imortal é de mau gosto; à exceção do Homem, todas as criaturas o são, pois ignoram a morte; o divino, o terrível, o incompreensível, é saber-se imortal (...) "postulado um prazo infinito, com infinitas circunstâncias e alterações, o impossível é nem sequer compor, pelo menos uma vez, a Odisseia".

Os outros contos são todos mais pequenos e menos elaborados, embora haja alguns muito interessantes (por exemplo, "Deutsches Requiem", "A busca de Averróis", "O Zahir", "A escrita do Deus") e diversas outras pérolas borgianas, nomadamente o Aleph (que dá título a um conto e à coletâna) que é "um dos pontos do espaço que contem todos os pontos", "o lugar do globo onde estão, sem se confundirem, todos os lugares, vistos de todos os ângulos" e "multum in parvo"!

( )
  jmx | Feb 20, 2014 |
ingen anmeldelser | tilføj en anmeldelse
Du bliver nødt til at logge ind for at redigere data i Almen Viden.
For mere hjælp se Almen Viden hjælpesiden.
Kanonisk titel
Oplysninger fra den engelske Almen Viden Redigér teksten, så den bliver dansk.
Originaltitel
Alternative titler
Oprindelig udgivelsesdato
Personer/Figurer
Vigtige steder
Vigtige begivenheder
Beslægtede film
Indskrift
Tilegnelse
Første ord
Citater
Sidste ord
Oplysning om flertydighed
Forlagets redaktører
Bagsidecitater
Originalsprog
Canonical DDC/MDS
Canonical LCC

Henvisninger til dette værk andre steder.

Wikipedia på engelsk

Ingen

No library descriptions found.

Beskrivelse af bogen
Haiku-resume

Current Discussions

Ingen

Populære omslag

Ingen

Quick Links

Vurdering

Gennemsnit: (4)
0.5
1
1.5
2
2.5
3
3.5
4 1
4.5
5

Er det dig?

Bliv LibraryThing-forfatter.

 

Om | Kontakt | LibraryThing.com | Brugerbetingelser/Håndtering af brugeroplysninger | Hjælp/FAQs | Blog | Butik | APIs | TinyCat | Efterladte biblioteker | Tidlige Anmeldere | Almen Viden | 205,771,480 bøger! | Topbjælke: Altid synlig